Desafios da Mulher que trabalha no atendimento

Desafios da Mulher que trabalha no atendimento


Encontramos, todos os dias, vários tipos de desafios em diferentes esferas das nossas vidas. Falar dos desafios da Mulher na área do atendimento não parece um assunto do outro mundo.

É do conhecimento de todos que a Mulher sofreu e continua sofrendo desigualdade social e profissional em relação aos homens. A visão que se vinha tendo da Mulher está ligada ao facto de ser mãe e dona de casa e não de ser profissional que pode agregar valor do mesmo jeito que um Homem o faz para uma empresa. Porém, ao longo dos anos nota-se, não só, as estatísticas mostram maior integração das Mulheres no mercado de trabalho.

O conteúdo que partilhamos hoje aborda a questão dos desafios da Mulher que trabalha no atendimento, e partilhamos aqui alguns pontos de vista sobre o tems. Apesar de serem vários os desafios, hoje mencionamos apenas dois, que têm maior impacto.

Antes é importante realçar que devido aos nossos hábitos culturais, a Mulher tem uma dose extra de tarefas perante a sociedade. Contudo, constatar-se, também, que nos últimos tempos os Homens têm apoiado e participado cada vez mais nas tarefas de casa, mas apesar disso, esse hábito de a mulher ter mais tarefas ainda é mantido, o que leva a pensar que essa sobrecarga que a Mulher possui possa influenciar ou comprometer o seu trabalho e assim comprometer os objectivos da empresa. Entretanto, a possiblidade disso acontecer ou não varia de pessoas para pessoa.

De uma forma inconsciente, as pessoas quando procuram por um atendimento olham para a Mulher como alguém menos capacitado em relação aos homens, mas há quem diga que não, e para acabar com essa divergência de ideias foi feita uma sondagem, primeiro para perceber qual é a preferência no atendimento e qual é o motivo da preferência. A sondagem mostrou a maioria tem preferência em ser atendido por Homens, justificando que os Homens conseguem ser mais flexíveis, pacientes, atenciosos, práticos e carinhosos em comparação com as mulheres, que são mais chatas e não sabem separar assuntos de casa com assuntos profissionais. Embora com uma diferença ligeira, de Mulheres que preferem ser atendidas por Mulheres por se sentirem mais confortáveis em relação ao assédio por parte dos atendentes do sexo Masculino.

A outra questão a ter em conta quando se fala da mulher no atendimento está ligada ao assédio. A área de atendimento exige uma dose de simpatia e ressaltamos que um sorriso e uma voz mais suave fazem toda diferença no momento do atendimento. Talvez por este motivo, as mulheres se tornem vulneráveis perante os olhos dos Homens, que já vêem uma abertura de espaço para abordar outros assuntos que de nada se ligam ao trabalho e deixam as mulheres em situação desconfortável. De forma atrevida, diríamos que é importante que a mulher tenha um bom jogo de cintura, saiba colocar o cliente focado no assunto a tratar e com uma percepção profissional dela, sem comprometer os objectivos da empresa.

Chegado ao fim, questionamos se teria algum outro desafio relevante não mencionado nesse artigo e gostava de abordar? Deixe o seu comentário abaixo e vamos conversar mais sobre esse assunto.

Até breve.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *